rss
email
twitter

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Vencendo a invisibilidade


Por Maíra Magno*

A respeito do cochicho e desconforto que o blog [Síncope] vem causando entre a classe dos bailarinos de Aracaju, gostaria de lembrar a meus colegas alguns fatos:

Na verdade é a primeira vez que temos um material escrito dedicado à crítica de nossos espetáculos, é a primeira vez em quatro edições da semana de dança e em décadas de existência das Danças Cênicas em Aracaju que alguém perde seu tempo, deliberadamente para escrever algumas linhas comentando nossos trabalhos, tivemos a matéria escrita por Natália Vasconcelos no jornal da UFS no ano passado, mas esta se dedicava mais a cena de dança na cidade que aos espetáculos  em si.

Isso significa que: 'Amém, Aleluia, Glória Deus', não somos mais invisíveis. Afirmamos tantas vezes o ser, no próprio encontro dos artistas de dança de Aracaju essa expressão foi dita várias vezes por vários colegas. Produzimos e nossas produções morrem na estréia, os espetáculos não reverberam, ninguém comenta só sobrevivem na memória daqueles poucos que o produziram ou que de alguma forma se emocionaram com este.

Como era a cena da dança em Sergipe na década de 80? Quem lembra? Onde vamos pesquisar? Quem escreveu uma linha sobre a produção dos grupos? Onde está esta memória? Como podemos saber qual foi a impressão do público sobre esta produção? Como poderemos contar esta história?Quando surgirem outras Carolinas Naturesas que quixotescamente tentarem recriar a historia da produção de dança cênica em Aracaju a partir de 2010, já temos algo escrito e publicado, 'AMÉM' entramos para a história!

Faço minha monografia sobre um pintor sergipano, a única coisa que encontrei escrita sobre o mesmo foi um parágrafo no site da Sociedade Semear. A partir desse parágrafo tracei as diretrizes de meu trabalho, imagina se eu tivesse que deduzir o que escrever sobre o cidadão se não existisse um único ponto de referência?

Gente, acordem, estamos reverberando, a IV Semana de Dança foi um sucesso tão grande que rendeu críticas, que duas pessoas que nem sequer dançam, perderam seus preciosos tempos para se debruçar á critica de alguns dos trabalhos. Como foram as outras edições da Semana de dança? Onde eu posso pesquisar? Há algo escrito? Foi bom? Foi mal? Onde encontro esse material? NADA! NENHUMA PALAVRA, até então éramos invisíveis, e agora?  Agora saímos na chuva e nos molhamos! Podemos escorregar, cair, gripar ou simplesmente tomar banho de chuva que é MUITO BOM! Só não da pra querer sair sequinho de um temporal.

Tocando em outra questão, lembram o que significa vanguarda? Vem do francês Avant Gard, ou seja, são aqueles que estão à frente da guarda, aqueles que quando forem para o front serão os primeiros a serem feridos e alvejados. As pedras atingirão primeiro neles. Quem são os vanguardistas? Os mais corajosos!

A história da arte foi feita por pessoas que ousaram desagradar, quando Nijinsk dançou “Sagração da Primavera” e “Prelúdio de um Fauno”, foi vaiado ferozmente, os críticos escreveram atrocidades sobre a obra, e o que a história nos diz?  Depois dessas obras o balé já não era mais clássico, algo tinha mudado, a história já havia sido feita, e por quê?  Porque incomodou ao ponto de escreverem não duas, mas várias linhas sobre o seu trabalho, porque o trabalho reverberou e ate hoje em 2010 é impossível estudar a historia da dança sem passar por essas obras que tanto incomodaram que foram devastadas pelos críticos.

Onde podemos pesquisar sobre a reação que esses trabalhos causaram ao público? No que foi escrito pelos críticos. Eram todos qualificados? Quem sabe! Mas é por causa deles que podemos traçar uma parte da história, agora imagina só se ninguém tivesse escrito nada? Um marco da historia da dança teria passado absolutamente despercebido. É assim em toda a historia da arte, pra mudar é necessário incomodar, e se ninguém falar nada, bem ou mal, nos manteremos na invisibilidade. E por isso eu clamo: Falem mal, mas falem de mim!

* Maíra Magno é bailarina,professora de Danças Árabes e uma das organizadoras da IV Semana Sergipana de Dança.

28 comentários:

Maíra Magno disse...

grata pelo post

Camila Sousa de Almeida disse...

clap clap clap

bravo, Maira!

gostei muito do seu ponto de vista.

todo mundo deveria aprender a curtir um banho de chuva...

Ewertton Nunes disse...

Maíra,
Eu prefiro ficar na invisibilidade a dar visibilidade a críticas mediocres, que favorecem espetáculos que mereciam ser criticados e faz questão de ressaltar ou procurar pontos frágeis em espetáculos com fundamentação... Quer ser crítico? Seja imparcial, tenha conteúdo e acima de tudo personalidade! Só pra ressaltar: houve um artigo muito bem escrito por CIANE FERNANDES no qual ela fala dos espetáculos, mas a diferença é o CURRÌCULO E BAGAGEM que ela possui...
Ela detonasse o meu trabalho eu baixaria a cabeça, pois, sem dúvidas ela sabe do que está falando. Mas como já disse: CONTINUA TENTANDO, quem sabe um dia possamos ter as suas críticas como alavanca para a nossa melhoria.

Anônimo disse...

Por Cláudia Sampaio

Desde quando seu trabalho tem fundamentação Ewerton? Já que você defende tanto os currículos deveria deixar de se apresentar, afinal ninguém sabe quem você é, e sua bagagem é tão pequena que cabe em uma pochete... Seu 'Perfume' é tão comum que a gente acha em qualquer esquina.

Maíra Magno disse...

bom, eu ainda acho que é melhor que falem, bem ou mal, é historia sendo feita... mas cada um é cada um...Mas boa lembrança wewe o artigo de Ciane, como não foi publicado em Sergipe não havia me recordado dele, ou seja, já são 4, se contarmos com natalia, que comentam sobre a semana de dança.
que venham mais!

Anônimo disse...

Por Claudio Britto

Bom.. até onde eu li aqui, ngm de outro espetáculo se manisfestou sobre as criticas pertinentes a produção, com exceção do Ewerton Nunes.
A crítica é feita por pessoas que pensam, automaticamente todos podem opnar sobre um trabalho, se este foi feito para o publico. Porém a falta de humildade, e necessidade de "ser" faz com que as pessoas se percam no caminho. Um espetáculo com diversas linguagens.. ok, foi bom, mas o q dizer do numero de pessoas q deixaram o teatro ou que foram embora após sua apresentação "senhor coreografo" ? será q é preciso dominar a arte da dança para entender ? só quem dança pensa ?
Saiba ser humilde, se as criticas ou o q quer que seja não lhe agrada, não use esta como forma de denegrir a imagem de ngm. Cresça, afinal o que vc representa de tão grandioso na dança desse estado a ponto de desmerecer as pessoas ?

Carla disse...

Criticas mediocres ? mais ou menos ewerton quis dizer que o espetáculo de maira é que deveria ser criticado e não o perfume. ok. prismas diferentes né ? achei todas as criticas daqui pertinentes, cabe a quem lê discernir sobre o que é correto ou não. talvez por conta desse comportamento é que vc ainda está e pode permanecer msm na invisibilidade.

Claudio disse...

Ewerton comentou que ngm o procurou para saber coisas do trabalho.
Mas isso não seria a função de um acessor de imprensa ?
ou a idéia do blog é fazer sinopses de trabalhos ?
até onde eu sei ngm procura o diretor artistico para se escrever critica, artigo, seja lá o que for .

Anônimo disse...

Vaia de bêbado não vale!

Halbermensch disse...

Ewerton, vc não precisa "baixar a cabeça" pra crítico nenhum. Com ou sem bagagem. Nem precisa ler as críticas. Mas é bom observar de que modo a sua produção artística está sendo "lida", mesmo que por pessoas que você despreza. Ser elogiado é ótimo. Mas receber com humildade os comentários negativos é importante também. Tô falando isso, mas nem assisti a nenhum dos espetáculos comentados. Só acho muito positivo um blog estar fazendo isso. É só isso. Um blog.

Ewertton Nunes disse...

kkkkkkk Gente isso aqui dá IBOPE! Vou aproveitar e divulgar a temporada de PERFUME no Teatro Lourival Baptista dias 06 (amanhã), 13 e 28 de MAIO. O horário é 20:30h e o valor é R$ 15,00 (inteira) e R$7,00 (meia).
VOLTEMOS A BAIXARIA...
Quem é essa fulaninha aí mesmo? Claudia Sampaio? Você deve ser apenas outra(o) covarde que não tem coragem de mostrar a cara. Eu digo e assino aquilo que penso! Quando a o comentário de quem sou eu, se faço ou não... Dê umas voltinhas, frequente teatro, ganhe cultura e talvez você tenha a resposta. Quanto ao quesito fundamentação... Seria preciso mais cérebro e percepção para saber se existe ou não nos meus trabalhos. Será que você tem?
FALANDO AGORA PARA PESSOAS COM NÍVEL:
- Quando expus o meu pensamento, não foi por incomodar-me os escritos do "crítico", essas opiniões sinceramente não me fazem melhor nem pior... Falei não pelo meu trabalho, mas por todos os trabalhos sérios desta cidade.
Mas, enfim... Bom saber estes blogs são úteis ao menos para fazer marketing!
TEMPORADA DE PERFUME!! FALEM PROS INIMIGOS!!!

Ewertton Nunes disse...

Cláudio...
As pessoas deixaram o teatro após o espetáculo? Era o nosso público, pessoas que foram lá para nos ver e depois voltar para casa, afinal não existem dormitórios no TTB. Quanto as que saíram no meio. No próximo faça uma enquete com.. elas pra saber... Talvez FREUD explique rsrs
Denegrir? Quando eu falo, me refiro à crítica e ao "crítico" ser que escreve... um "profissional" deveríamos dizer assim... Se Léo (que por sinal gosto bastante) não sabe receber críticas sobre as críticas e mistura as coisas...

Anônimo disse...

Falem mal mas falem de mim é um horror!

Amelhinha Sá disse...

Bom... Eu realmente penso assim: Criticas são sempre boas, se você escuta só elogios sobre o seu trabalho deve ter algo errado... ou as pessoas não tem coragem de te mostrar os fatos, ou você é perfeito de mais para estar entre nós seres humanos, no caso seres dançantes... afinal uma pessoa perfeita (algo que penso eu que não existe) não é digno de estar entre nós (sendo bem redundante, eu sei.). Acho que criticas nos fazem crescer, porem é importante saber qual critica você deve considerar ou de que forma ver cada critica e ponderá-las, assim como o critico tem que saber se posicionar como qual tipo de critico ele é. No caso das criticas de Léo acho importante olhá-las como a critica de um espectador, uma pessoa que vai ao teatro ver uma apresentação e depois expõe sua opinião sobre a mesma... e só isso! Não da para comparar as criticas dele com as criticas de Ciane Fernandes, uma super estudiosa da dança que elogiou muito o trabalho da Contempodança e da Espaço Liso, porem não acho certo também desmerecer o trabalho de Leo, só acho que ele poderia no próprio blog colocar algo sobre ele, sobre seus estudos e fundamentos sobre a dança, para que , como a própria Maira falou, quando essas criticas ultrapassarem a história e serem usadas como importantes recortes sobre a historia da semana da dança as pessoas possam saber quem foi esse critico. Acho também que um critico tem que saber escutar criticas sobre as suas criticas, é difícil agradar a todos, isso é normal. Quem ta na chuva é pra se molhar NÉ ISSO?
Pra quem não sabe eu faço parte da Cia de dança espaço liso, sou nova no grupo, estou aprendendo agora com muito cuidado e dedicação do coreografo, diretor e bailarino Ewertton a sua linha, o seu tipo de pesquisa, e até a própria linha do contemporâneo que pra mim também é algo novo. Sempre admirei o seu trabalho como admiro de outros artistas locais também... por isso penso eu que devemos ter mais cuidado com o que falamos, ou melhor, na forma que falamos... ofensas não fazem ninguém crescer. É preciso saber como criticar, como é preciso saber como ponderar as criticas, como é preciso aprender e muito a respeitar o artista. Falo artista em geral, falo de bailarinos, músicos, artistas plásticos, circenses e por ai se vai. A arte sergipana é uma só e tem que se proliferar como uma só. Como o coletivo de dança, por exemplo, que funcionou tão bem. Aquilo ali sim merecia uma belíssima critica parabenizando ao esforço de todos.

Haaaaa... e eu seu chupar manga! Kkkkkkkkkkk! (Piadinha interna) ;)

Luiz disse...

De fato este blog está bastante movimentado! Que bom! Espero que os responsáveis pelo blog estejam felizes com o impacto de suas críticas e os acessos obtidos. A crítica é tal qual a arte: nem sempre é boa, nem sempre elogia, nem sempre agrada a todos, nem sempre é negativa, nem sempre é justa e nem sempre é injusta... ela pode chocar, pode insinuar e pode atrair público por conta dessa forma de propaganda... Precisamos movimentar o cenário artístico do nosso estado! As observações de Maíra sobre a invisibilidade são válidas, realmente nossa arte não tem sido registrada para pesquisas posteriores...
Agradeço aos responsáveis pela crítica de Perfume (isso puxando para a minha área de formação acadêmica, que é Letras Português) por ter modificado a crítica, o texto não mais parece ter sido construído a partir de uma conversa com a companhia - fato que me incomodou bastante quando a li –, isso mostra que vocês perceberam isso. Outro mérito, isso vale também para o texto antes de sofrer modificações, é que a crítica compreendeu o espetáculo. Para mim isso é muito válido, mesmo acreditando piamente que todos devem saber ouvir e também defender seus trabalhos (quando achar que deve). Lembre-se todos: blog é interação!
Concordo com Amelhinha quando ela citou que não dá para comparar as críticas deste blog com o artigo publicado por Ciane Fernandes, que é pós-doutora, em uma revista científica. Porém, o blog poderia ter mais cuidado em conceituar aquilo que não domina (isso ficou marcado nos textos sobre “Casulo” e “Gesto”, pelo que me recordo). E acho que todos devem se importar com a forma de comentar e/ou criticar o trabalho alheio, principalmente em se tratando de colegas de áreas afins. Vivemos em sociedade e todos podem dizer o que quiser se souber como falar.
Para quem não sabe, meu nome é André, integrante da Cia Espaço Liso, amante da arte, pessoa, espectador, professor e artista.

Luiz disse...

Pessoas, não sei como fazer para deixar o meu nome "André Bonfim" no topo do comentário...e Luiz sou eu mesmo (André Luiz, gramaticalmente incorreto, mas sou eu! rsrsrs).

Maíra Magno disse...

amelinha concordo em genero numero e grau com vc, uma coisa é a critica de um estdioso em dança, outra e a do publico leigo, mas pensemos, quem mais vai ao teatro?
parabens pelo blog, assim como a semana de dança vcs tb são um sucesso!

Amelhinha Sá disse...

Isso mesmo... Mais foi justamente o que eu escrevi... sendo que eu nem falei publico "leigo" porque estou falando de Léo diretamente... e já que ele tem a experiencia de sempre esta indo prestigiar a dança... ele já se torno um publico não tão leigo assim né?!
Enquanto ao publico leigo de verdade... é esse que realmente temos que nos preocupar em atingir, são esses que devemos nos preocupar em mostrar as mil faces da arte, mostrar que a dança não é só uma garotinha magrelinha na ponta dos pés e sim que existem varias vertentes,um pouco dificeis de serem aceitas mais que não deixam de ser dança, corpo em movimento ou não... ARTE.

Carlo Max disse...

Temos um semideus no cenário artístico!

Ewerton quem é vc pra questionar a falta de fundamentação de espetáculos? O que é fundamentar? Em sentido amplo e estrito? Antes disso o que é cultura? O que é ter cultura. Me explique antropologicamente falando já que vc é tão articulado. Concordo com Kel Cintra que vc é tem o ego inflado e não sabe aceitar críticas.Pois bem Excelentíssimo senhor Doutor PHD em Artes, quem vai ao teatro não são só os deuses do Olimpo ou pesquisadores da NASA.E não vão pra ver só vc. Ou vc acha que vc é único formador de público? muita pretensão...

E mesmo os mais conceituados no assunto, partem mesmo que involuntariamente do seu arcabouço e acabam sendo parciais nas suas críticas. Sugerem o que esperavam que se fizesse. taí, mas arte não é matemática, nem exige PHD pra criação, nem estudo em laboratório químico ou sustentação em lei pra ter fundamento.

Seja mais humilde. vc não é a última cocada da baiana e assim como vc não conhece algumas pessoas, críticos, muitas pessoas não conhecem vc. E então, 0x0 não acha??
Baixe sua bola...

Saulo Santos disse...

A espaço liso borrifou perfume no teatro, e nós sentimos vontade de borrifar baygon neles.
Com algumas exceções.. bailarinos bons sendo mal dirigidos ....
o que é perfume ? sexo, beijo na boca, e .. ?
pelamor ... alguém avisa ?

Ewertton Nunes disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Tô adorando isso aqui kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Jo4o Dantas disse...

Oi Maira.
A crítica feita- entendo eu- ser razoável. Estava logo na terceira fila, quando pensei: _ meu deus isso é alguma aula show de história da dança árabe? No entanto, isso não acaba o espetáculo. Havia uma rica pesquisa de tecidos, estamparias com belíssimas mandalas. Talvez a minha opinião também tenha pouco valor. Afinal, como os blogueiras eu também não sou dançarino. Parabéns! Gostei muito do evento.

Maíra Magno disse...

muito grata joão

Fêfa Matos disse...

Gente... vocês estão sendo tão contraditórios, estão criticando os comentários e opiniões das pessoas. Onde fica o que alguém citou aqui em cima? Que todos podem opinar, e cada um tem suas póprias opiniões e o direito de expo-las.

Concordo que nem sempre todos vão ter uma mesma opinião sobre algo, contudo é de extema importancia respeitar a opinião dos outros. Acho pertinente se criticar algo ou alguém a partir do momento que se tem conhecimento sobre tal coisa. No cado das criticas feitas nesse blog, não concordei com algumas colocações feitas, pois essas foram feitas como se existisse conhecimento e estudo em dança, o que nesse caso não há, em outras concordei com o que foi escrito, e em outras não analisei da mesma forma que foi analisado pelo escritor dos textos.

Sobre a dança em Sergipe ser "invisível", isso vai mais além de 'não' termos registros (que por sinal temos sim, Sergipe está presente no Itaú Rumos Cultural, tem um acritica feita por Ciane Fernandes, poderia ter mais? claro) não temos apoio, e a sociedade não valoriza o nosso trabalho. Fico tão triste quando temos uma Semana da Dança, com entrada gratuita, diversos tipos de apresentações, e o Teatro Tobias Barreto está vazio, contudo quando vem um espetáculo de fora do estado e até mesmo do país, onde o ingresso custa R$60, o mesmo está lotado.

Sou do meio da dança á algum tempo, mais precisamente 13 anos, já participei de muitos festivais, oficinas,já assisti muitos espetáculos, performances, mostras, e quem está nesse meio conhece Ewerton Nunes(Vevé), Maira Magno, Cleanes, Araceli, Chiquinho, Adriano, Leilinha, Erê, Rodolfo, Carolina Naturesa,Lu Spineli, Rejane Cruz,Gladston, e diversos outros nomes que lutam pela dança em Sergipe, e sabe o que cada um faz fez pela dança no estado, qual as linhas de dança os mesmo desenvolvem, as dificuldades, as conquistas. Mas o que eu ainda vejo é o não apoio e reconhecimento pelo trabalho do próximo. Acho importante, e faço isso sempre que posso, prestigiar seja onde for o trabalho dos que fazem dança em Sergipe.

Meu nome é Fernanda Matos, graduanda em Lic. em Dança pela UFS,e bailarina da Espaço Liso. Falei aqui como cidadã sergipana;estudante, professora, bailarina e pesquisadora em dança.

Maíra Magno disse...

pois é fefa concordo 100% com vc, agente apesar de todo o esforço não tem casa cheia na semana de dança, as poucas pessoas que vão de bom grado pq querem assistir dança sergipana, e se impactam o suficiente pelo exposto ao ponto de colocam a suas opiniões pessoais num veículo democrático de expresão que é um blog, têm suas impressões pessoais recebidas às pedradas pelos próprios bailarinos, me dê um único motivo pra essas pessoas voltarem ao teatro para nos assistir?
e agente continua reclamando que não tem público
mas a culpa é de quem?

Ewertton Nunes disse...

OLHA EU DE NOVO! rsrsrs
"Pedradas"? Pessoas civilizadas debatem... Se alguém deixar de ir ao teatro porque está debatendo opiniões, a culpa é a ignorância... Sinto muito. Uma discussão acerca de algo tem acordos e desacordos. Não somos obrigados a concordar com tudo. Existe uma coisa chamada "discernimento" e acho que todo ser humano deveria ter. Uma coisa é o artista e outra é a sua arte. Não deixamos de apreciar arte por não simpatizarmos o artista ( aso menos deveria ser assim).

Fêfa Matos disse...

Pois eh Maira... mas essas pessoas não deveriam se impactar ao ponto de não mais assistir outros trabalhos daqueles artistas, pois se formos sempre levar em consideração o que as pessoas vão pensar do nosso trabalho, se vão gostar ou não, se vão se "chocar" ou não, a dança será sempre a mesma, o jeito que a sociedade quer ver dança; vou além: ninguém quer ver um gordo no palco, um deficiente, nudez, relações homossexuais, coisas tão reais no mundo que vivemos. Não estou dizendo que todas as apresentações tem que trazer isso pro palco, claro que não, vai da criação do coreógrafo, e que não seja dança por exemplo um balé com meninas todas visualmente "iguais" dançando 'iguais', eu particularmente acho lindo. Acho maravilhoso as diversas maneiras que podemos nos comunicar através da dança, só penso que as pessoas mesmo que não gostem devem respeitar.
Acredito que o blog ajudou para as pessoas falarem de dança, mesmo que algumas pessoas tenham levado as discussões para lados pessoais, chegando até a agredir outras.

Maíra Magno disse...

fefa perfeito é necessario abrir o diálogo, nem se cresce fechado na concha nem se cresce dando ouvidos a tudo e a todos.
eu particularmente acho que é improtante para o criador de uma obra ter um feedback do seu público e o blog é perfeito para isso.
pq nem sempre o criador quer agradar, por exemplo nas questões que vc citou que as pessoas nao querem ver, eu incluo os trantornos mentais apresentados em casulo, qd levados ao palco, não creio que sejam exatamente para agradar
mas sim para impactar de alguma maneira
o blog se torna um termometro do publico, algumas crítica se bem ouvidas se torman elogios
tipo, casulo incomoda?
ótimo perfeito missão cumprida ninguem trata de transtornos mentais de uma maneira tão franca para causar conforto estético.
para mim pessoalmente como criadora é extremamente valido ter este canal franco de diálogo com o publico
ainda mais pq aqui se manifestão pessoas que eu nao conheço, e por isso as opiniões sao as mais francas possiveis
eu espero que leo e michell, que de fato eu nem conheço se mantenham com o trabalho